domingo, 26 de dezembro de 2010

A história da" Boa Sopa"


Era uma vez...
uma mocinha muito pobre chamada Ana e que vivia sozinha com sua mãe numa cidadezinha ao longe daqui.
Elas passavam por dias difíceis e quase não tinham o que comer. A mãe estava desempregada e a menina ainda era muito nova pra trabalhar.
Nesse dia, como não havia mais nada pra cozinhar na casa delas, Ana entrou num matagal em busca de alguma fruta. Encontrou uma mulher idosa que parecia conhecer a menina e sua pobreza. Ela disse: -Sei o que procura, minha filha.
E Ana ficou ainda mais surpresa quando a mulher tirou de uma sacola uma panelinha, vazia. Logo pensou que aquela senhora talvez tivesse se enganado, já que procurava por comida e não por uma panela vazia, porque isso já tinha em casa.
Mas a estranha senhora disse: -É uma panelinha mágica, meu bem. Basta dizer a ela:
- "Panelinha, cozinhe!"- para que na mesma hora ela cozinhe uma deliciosa sopa, bem cremosa; e quando não quiser mais que ela cozinhe, diga: -"Panelinha, pode parar!" e ela logo vai parar de fazer a sopa.
A menina agradeceu e voltou correndo pra casa levando a panela e com aquele presente a pobreza das duas acabou, pois mãe e filha comiam a boa comida sempre que sentiam vontade, e na quantidade que quisessem.
Mas chegou o dia das aulas começarem e Ana iria para a escola. Como estudava em período integral, preocupou-se com a mãe e a panelinha, pois sempre era Ana que dizia as palavras mágicas. A mãe de Ana disse a ela pra ficar sossegada, porque, afinal, estava acostumada a ver a menina fazer aquilo todos os dias.
Então a menina foi de manhãzinha para a escola, feliz por encontrar os amigos e professores.
Na hora do almoço a mãe, que já tinha limpado toda a casa, disse: -Panelinha, cozinhe! E a panela começou a cozinhar... Aquele cheirinho bom se espalhou pela casa. Quando a fome da mãe já havia acabado, quis que a panelinha parasse, mas descobriu que não se lembrava dessa parte. Não sabia o que era preciso dizer. Então começou a tentar muitas frases, mas a panelinha continuou.
Começou a derramar sopa por todo o fogão limpinho...
-E agora? Vou ter que esfregar de novo as tampinhas do fogão! Pare com isso, panelinha, por favor!
E a panelinha continuou. E aquela sopa deliciosa escorreu por toda a cozinha, entrou nos quartos, no banheiro, na sala. Saiu pela porta da frente atrás da mãe, que já pedia socorro à vizinha. De nada adiantou. A sopa entrou pela casa da vizinha também e por todas as outras casas do quarteirão. Logo todo o bairro já estava cheio de sopa, quentinha e cremosa.
Quando só faltava a escola de Ana pra ficar cheia de sopa, a menina sentiu aquele cheirinho que ela conhecia muito bem e olhou pela janela. A mãe estava no meio daquele rio de sopa chamando pela menina que logo entendeu o que havia acontecido.
Ana disse:-Panelinha, pode parar. E a panelinha obedeceu.
As pessoas da cidade limparam aquela sopa todinha, mas dizem que até hoje, quem passa por lá ainda encontra pelos cantos os restinhos da sopa.


E esta história entrou pela porta e saiu pela janela. Quem quiser que acredite nela.

3 comentários:

  1. A história da " Boa Sopa" é fantástica.Continuem a publicar histórias com imaginação...

    ResponderEliminar
  2. Vamos continuar a publicar mais histórias. Podem ter a certeza...

    ResponderEliminar